Enclausurado – Ian McEwan #186

ENCLAUSURADO_1471830770604654SK1471830770B

Título: Enclausurado

Autor: Ian McEwan

Ano: 2016

Páginas: 200

Editora: Companhia das Letras

Sinopse: O narrador deste livro é nada menos do que um feto. Enclausurado na barriga da mãe, ele escuta os planos da progenitora para, em conluio com seu amante — que é também tio do bebê —, assassinar o marido. Apesar do eco evidente nas tragédias de Shakespeare, este livro de McEwan é uma joia do humor e da narrativa fantástica. Em sua aparente simplicidade, Enclausurado é uma amostra sintética e divertida do impressionante domínio narrativo de McEwan, um dos maiores escritores da atualidade.

Esse livro foi indicado pelo José, um dos meus amigos literários. Quando li a sinopse fiquei super curiosa e resolvi adquirir.

Nessa história temos como narrador personagem um feto, ou seja, um bebê, dentro da barriga da mãe, no último mês de gravidez. O bebê, é completamente inteligente, nesse livro é como se o feto adquirisse toda tipo de inteligência na barrida da mãe, através da audição. Não cheguei a entender se depois de nascer ele manteria a inteligência, eu acredito que sim, só não expressaria. O bebê presencia todos os planos da mãe e do amante, para matar seu pai. E de dentro da barriga ele cria planos para impedir que isso aconteça.

No ponto de vista ficcional esse livro é muito, muito bom, o enredo é muito curioso e mistério que envolve os personagens nos prende na história. Mas do ponto de vista biológico, eu achei esse livro MUITO interessante, é claro que um bebê não tem tamanho raciocínio ainda na barriga da mãe, mas a momentos narrados na história de fatos relacionados a gestação que é muito curioso. Por exemplo, a maneira como o bebê é alimentado, a função do cordão umbilical, o álcool na gestação e até mesmo o parto.

O desfecho dessa história foi excelente, apesar de eu querer MUITO saber o que aconteceu depois com o bebê que se quer tinha recebido nome.

 

Anúncios

Quase Memória – Carlos Heitor Cony #185 {TAG Experiências Literárias}

QUASE_MEMORIA_1506757959711117SK1506757960B

Título: Quase Memória

Autor: Carlos Heitor Cony

Ano: 2017

Páginas: 272

Editora: Nova Fronteira

Sinopse: Publicado em 1995, Quase memória marcou a volta de Cony às grandes narrativas depois de mais vinte anos. Rompendo limites entre gêneros e situado em algum ponto entre a ficção e a memória, o livro rapidamente se tornou sucesso de crítica e público e ganhou, em 1996, o Jabuti de Melhor Romance e o Prêmio de Livro do Ano.

Quase Memória foi o livro de Setembro da TAG, e como eu adiei a leitura, eu estava lendo quando o de outubro chegou. Como estava muito curiosa, parei para ler o de outubro, depois voltei para esse quase romance.

Esse livro, escrito por Carlos Heitor Cony, é um livro de lembranças do pai. O protagonista, ele mesmo, recebe um embrulho com todas as características dos embrulhos do pai. O estranho, é que o pai havia morrido a dez anos atrás.

Esse é um livro de devaneios, o personagem, passa o livro encarando este embrulho e relembrando muitas histórias vividas e talvez inventadas.

Os sentimentos que Carlos Heitor tem pelo pai, as lembranças, são todas muito bonitas. Porém, não é o tipo de livro que normalmente me cativa, pois não tem aventura, ou fantasia.

Eu achei muitas vezes o livro enfadonho, cheio de descrições e nomes inúteis. E quanto ao embrulho, que o CHC nunca abre, me dá uma agonia!! Mesmo que muitos dizem que bem no fim não precisava abrir, pois já sabia o que encontraria, eu queria que ele tivesse aberto.

Mas com certeza muitas pessoas se identificaram com o livro.

As Alegrias da Maternidade – Buchi Emecheta #184 {TAG Experiências Literárias}

AS_ALEGRIAS_DA_MATERNIDADE_1507228861719353SK1507228861B

Título: As Alegrias da Maternidade

Autora: Buchi Emecheta

Ano: 2017

Páginas: 320

Editora: Dublinense

Sinopse: Nnu Ego, filha de um grande líder africano, é enviada como esposa para um homem na capital da Nigéria. Determinada a realizar o sonho de ser mãe e, assim, tornar-se uma “mulher completa”, submete-se a condições de vida precárias e enfrenta praticamente sozinha a tarefa de educar e sustentar os filhos. Entre a lavoura e a cidade, entre as tradições dos igbos e a influência dos colonizadores, ela luta pela integridade da família e pela manutenção dos valores de seu povo.

Esse é o livro de outubro da TAG.

A autora, Buchi Emecheta, nunca tinha sido publicada no Brasil até agora. É uma autora nigeriana. Esse livro foi muito esperado pelos membros da TAG por conta da curadora, Chimamanda Ngozi Adichie, também da Nigéria.

Eu descobri qual seria o livro de outubro ainda em setembro e não sabia o que pensar. Seria um livro que falaria da maternidade, ok, mas até então eu só tinha lido a Chimamanda entre autores africanos, o que esperar da escrita? Do tema?

O livro chegou e a edição causou rebuliço, pois muitos não gostaram da capa e diagramação. Eu particularmente achei linda, num estilo rústico, combinou muito com a história.

A história se passa na Nigéria colonial, e nossa protagonista se chama Nnu Ego, mas antes de conhecermos ela, conhecemos seus pais e como foi concebida. Nnu é uma jovem que tem o desejo de casar e ser mãe.

Esse livro acompanha toda a história da vida de Nnu Ego, desde o seu nascimento até a idade avançada (para não dar spoiler). Por conta dessa cultura machista e maldosa, as mulheres vivem acreditando que seus maridos são seus donos, que é sua obrigação dar filhos, e não qualquer filho/a, mas filhos homens.

Essa história nos mostra muito da cultura do povo nigeriano, aprendemos um pouco sobre o chi, que é um deus pessoal, vemos também muito sobre o casamento, que pode e muitas vezes é polígamo, entre outras coisas.

Quanto a escrita da autora, é maravilhosa. Pensa naquele livro que na segundalinha você já consegue imaginar o cenário e os personagens na sua mente, parece que o livro fala com você. E o mais bonito é ver conforme o desenrolar da história as mulheres se desconstruindo (mesmo que isso aconteça muitos aos poucos), vendo o seu próprio valor, e percebendo que não são objeto de seus maridos e que podem tomar suas próprias decisões.

Essa leitura foi uma experiência sensacional, com certeza um dos melhores livros que li esse ano, que li na vida, e o melhor livro que recebi da TAG.

O Segredo – Joseph Delaney #183

O_SEGREDO_1368061440B

Título: O Segredo

Série: As Aventuras do Caça-Feitiço

Volume: 3

Autor: Joseph Delaney

Ano:2009

Páginas: 304

Editora: Betrand Brasil

Sinopse: Numa noite escura e fria, o Caça-Feitiço recebe uma visita inesperada e indesejável. Tom não sabe por que o estranho perturbou tanto o seu mestre, que anuncia a partida imediata para sua casa de inverno em Anglezarke. A casa é desolada, assustadora, situada perto das trevas e com um porão lotado de feiticeiras e ogros aprisionados.
À medida que os meses de inverno transcorrem, Tom começa a descobrir dados sobre o passado do seu mestre e a identidade do misterioso visitante que, aparentemente, é inimigo declarado do Caça-Feitiço.
Estarão as sombras do passado alcançando seu mestre? Que perigos ameaçarão Tom quando os segredos que seu mestre tenta esconder finalmente forem revelados?
O segregro, como os livros anteriores, transcorre no Condado, desta vez no Sul, próximo à sinistra charneca de Anglezarke. Os lugares descritos saíram da imaginação do autor, mas o túmulo no alto do sítio, conhecido como a Broa, é um famoso ponto de referência em Lancashire. Há 20 anos, o autor passou ali uma noite fria e enfrentou uma tremenda ventania. Caiu uma tempestade violenta nessa noite!
Em uma visita à escola do condado de Anderton, em 2004, Joseph Delaney prometeu a um grupo de crianças que incluiria a aldeia de Adlington em um futuro livro. Foi o que fez, e a alameda Babylon, ao lado da escola, é onde está situada a serralheria de Andrew, o irmão ficcional do Caça-Feitiço.

Esse é o terceiro livro da série As Aventuras do Caça-Feitiço que eu estou cada vez mais apaixonada.

Nosso protagonista, Tom, é o sétimo filho de um sétimo filho, por tanto esse menino de 13 anos tem uma sensibilidade a tudo que pertence ao escuro, como bruxas e demônios.

Esse universo ficcional se passa mais ou menos em 1600, onde bruxas são comuns, havendo vários tipos, também há demônios e “fantasmas”.

Toda a história se passa no Condado, mas a cada livro em uma parte diferente dele. Tom já é aprendiz de caça-feitiço há algum tempo e está se tornando cada vez mais forte. Sabe usar uma corrente de prata entre outras ferramentas.

Nesse terceiro livro da série Tom viaja com seu mestre para a casa de inverno, onde enfrentam demônios, bruxas e um necromante louco. Tom, por amor a família se vê obrigado a trair seu mestre e ocultar fatos de sua amiga Alice. Isso leva Tom a encarar um dos maiores deuses da época, o deus do inverno, que é extremamente maligno. Não só sua vida mas todo o Condado corre riscos.

Eu amei o quanto esse livro é diferente, já li muuuuitas fantasias e esse se destaca com certeza. Tom, o protagonista é muito cativante e suas aventuras são únicas, eletrizantes e assustadoras. Já entrou na minha lista de séries/trilogias de fantasia favoritas. Não vejo a hora de ler a sequência.

A Profecia das Sombras – Rick Riordan #182

A_PROFECIA_DAS_SOMBRAS_1492700924673119SK1492700925BTítulo: A Profecia das Sombras

Série: As provações de Apolo

Autor: Rick Riordan

Ano: 2017

Páginas: 336

Editora: Intrínseca

Sinopse: Não basta ter perdido os poderes divinos e ter sido enviado para a terra na forma de um adolescente espinhento, rechonchudo e desajeitado. Não basta ter sido humilhado e ter virado servo de uma semideusa maltrapilha e desbocada. Nããão. Para voltar ao Olimpo, Apolo terá que passar por algumas provações. A primeira já foi: livrar o oráculo do Bosque de Dodona das garras de Nero, um dos membros do triunvirato do mal que planeja destruir todos os oráculos existentes para controlar o futuro.

Em sua mais nova missão, o ex-deus do Sol, da música, da poesia e da paquera precisa localizar e libertar o próximo oráculo da lista: uma caverna assustadora que pode ajudar Apolo a recuperar sua divindade — isso se não matá-lo ou deixá-lo completamente louco.

Para piorar ainda mais a história, entra em cena um imperador romano fascinado por espetáculos cruéis e sanguinários, um vilão que até Nero teme e que Apolo conhece muito bem. Bem demais.

Nessa nova aventura eletrizante, hilária e recheada de péssimos haicais, o ex-imortal contará com a ajuda de Leo Valdez e de alguns aliados inesperados — alguns velhos conhecidos, outros nem tanto, mas todos com a mesma certeza: é impossível não amar Apolo.

O segundo livro das provações de Apolo <3!

Estou apaixonada, esse livro é muito eletrizante, cheio de revira-voltas e personagens muito carismáticos.

Apolo é um protagonista singular, ex-deus do olimpo. Tornado humano pelo próprio pai, Zeus, após muitas coisas erradas que ele fez, para como humano, provar o merecimento de ser quem era, deus da medicina, da musica e da paquera.

Apolo além de não ser nada humilde, coloca sempre suas vontades a cima de muitas vidas e deixar seus próprios filhos de lado, mas ao se tornar Lester Papadopoulos (seu nome humano) acaba aprendendo muitas coisas. Como o amor, o carinho pelos amigos, a lutar pelo que deseja, e que vidas são importantes.

Apolo passa por muitas provações em companhia de seus amigos, lutando contra o Triunvirato, que é uma galera do mal tentando dominar o mundo.

Nesse livro o autor emprega na história vários assuntos tabus, quebrando um pouco desse paradigma. Como a bissexualidade, a homossexualidade (já presente em livros anteriores do autor) entre outros.

Eu definitivamente amei essa leitura e tudo que esse livro me proporcionou.

Felipe Neto: A Trajetória de Um Dos Maiores Youtubers do Brasil #181

FELIPE_NETO_1502735584705195SK1502735585B

Título: Felipe Neto A Tragetória de Um Dos Maiores Youtubers do Brasil

Autor: Felipe Neto

Ano: 2017

Páginas: 64

Sinopse: Do anonimato ao sucesso, Felipe Neto batalhou, e muito, para conquistar toda a fama que tem hoje. A explosão do youtuber não se deu do dia para a noite, ao contrário, exigiu muita dedicação e amadurecimento ao longo de sua caminhada. Pela primeira vez, Felipe decidiu abrir a sua vida para os fãs e topou contar toda a sua história por trás das câmeras. Esta edição traz a trajetória e muitas curiosidades sobre um dos maiores influenciadores da internet, além dos novos projetos, jogos, papertoys, carteirinha de fã e muitos pôsteres. Tudo isso em uma publicação feita especialmente para milhões de corujas espalhadas por todo o mundo! Vai perder esse rebuliço?
“Acompanha Fotos Autografadas de Brinde somente para compras realizadas no site e no período de pré-venda”

Esse livro é da Coquetel e é um livrão!

Eu sou fã de Felipe Neto desde que ele começou e não estou nem aí com todo o “rebuliço” que as pessoas fazem por causa dele.

Esse livrão é para fã de verdade, o que eu achei super legal!

Tem muitas fotos do Felipe e da família, dos amigos. Tem lista de livros preferidos, séries e musicas. Tem pôster, recorte e cole e palavra cruzada. Entre várias outras atividades. Mas uma coisa que eu acho muito especial é a influencia e que tenta passar para que seus fãs comecem a ler.

Eu admiro muito esse carinha e acho o papel dele muito importante, ele sempre procura mostrar para as pessoas que o preconceito é errado, que depressão é coisa séria, entre outras coisas, apesar do canal dele ser para entretenimento.

Para Educar Crianças Feministas – Chimamanda Ngozi Adichie #180

PARA_EDUCAR_CRIANCAS_FEMINISTA_1488909057648586SK1488909057B

Título: Para Educar Crianças Feministas

Autora: Chimamanda Ngozi Adichie

Ano: 2017

Páginas: 96

Editora: Companhia das Letras

Sinopse: Após o enorme sucesso de Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie retoma o tema da igualdade de gêneros neste manifesto com quinze sugestões de como criar filhos dentro de uma perspectiva feminista. Escrito no formato de uma carta da autora a uma amiga que acaba de se tornar mãe de uma menina, Para educar crianças feministas traz conselhos simples e precisos de como oferecer uma formação igualitária a todas as crianças, o que se inicia pela justa distribuição de tarefas entre pais e mães. E é por isso que este breve manifesto pode ser lido igualmente por homens e mulheres, pais de meninas e meninos. Partindo de sua experiência pessoal para mostrar o longo caminho que ainda temos a percorrer, Adichie oferece uma leitura essencial para quem deseja preparar seus filhos para o mundo contemporâneo e contribuir para uma sociedade mais justa.

Esse é o segundo livro que li da autora, eu comprei ele para dar de presente para uma amiga que é mãe, quando chegou, era tão pequenininho que pensei *vou ler antes de entregar* e foi o que fiz.

É mais um daqueles livros que você lê numa sentada só, super rápido e objetivo, é uma carta de Chimamanda para uma amiga, dando dicas de como educar a filha para ser feminista e acreditar na igualdade independente do sexo.

Eu adorei esse livro, o outro que li da autora é na mesma vibe e estou com vontade de ler mais livros dela.

Em Para Educar Crianças Feministas Chimamanda fala o que muitas pessoas já sabe, que temos sim que lutar por nossos direitos, que ainda estamos muito longe de sermos tratadas como iguais. Mas disse duas coisas que me marcaram.

  • Sermos chamadas de princesas remete a fragilidade e a necessidade da mulher de ser sempre “salva” por um homem, por isso, não é muito legal usar essa palavra.
  • Mulheres não precisam ser defendidas e nem aplaudidas, temos força para lutar pelos nossos ideais e não fazemos nada que não seja nossa obrigação.

Obrigada Chimamanda ❤

Toda Luz Que Não Podemos Ver – Anthony Doerr #179

 

TODA_LUZ_QUE_NAO_PODEMOS_VER_1426788848440816SK1426788848B

Título: Toda Luz Que Não Podemos Ver

Autor: Anthony Doerr

Ano: 2015

Páginas: 528

Editora: Intrínseca

Sinopse: Marie-Laure vive em Paris, perto do Museu de História Natural, onde seu pai é o chaveiro responsável por cuidar de milhares de fechaduras. Quando a menina fica cega, aos seis anos, o pai constrói uma maquete em miniatura do bairro onde moram para que ela seja capaz de memorizar os caminhos. Na ocupação nazista em Paris, pai e filha fogem para a cidade de Saint-Malo e levam consigo o que talvez seja o mais valioso tesouro do museu.
Em uma região de minas na Alemanha, o órfão Werner cresce com a irmã mais nova, encantado pelo rádio que certo dia encontram em uma pilha de lixo. Com a prática, acaba se tornando especialista no aparelho, talento que lhe vale uma vaga em uma escola nazista e, logo depois, uma missão especial: descobrir a fonte das transmissões de rádio responsáveis pela chegada dos Aliados na Normandia. Cada vez mais consciente dos custos humanos de seu trabalho, o rapaz é enviado então para Saint-Malo, onde seu caminho cruza o de Marie-Laure, enquanto ambos tentam sobreviver à Segunda Guerra Mundial.
Uma história arrebatadora contada de forma fascinante. Com incrível habilidade para combinar lirismo e uma observação atenta dos horrores da guerra, o premiado autor Anthony Doerr constrói, em Toda luz que não podemos ver, um tocante romance sobre o que há além do mundo visível.

Eu ganhei esse livro na primeira edição do Amigo Literário.

Esse livro é ambientado na França e na Alemanha, durante a segunda guerra mundial, o que chamou muito minha atenção.

O livro é narrado principalmente na perspectiva da Marie, a francesa e Werner, o alemão. Nosso casal. O livro narra a infância e juventude de ambos, sem se conhecerem. Até que chega a um momento do livro em que se encontram.

 

O grande problema desse livro é que os capítulos viajam no tempo, por exemplo, o primeiro em  1944, o segundo em 1934, o terceiro em 1940, e por aí vai. O que deixou o livro um pouco confuso, porque pra mim, isso foi bem nada a ver.

Meu segundo problema com esse livro é que  Werner simplesmente some no final do livro e você fica tipo: Oi????

Enfim, infelizmente não foi uma boa experiência para mim, achei um livro bem fraco.

Apesar de em muitas resenhas as pessoas terem amado ):

 

Ragtime – E. L. Doctorow #178 {TAG Experiências Literárias}

RAGTIME_150185518425666SK1501855185BTítulo: Ragtime

Autor: E. L. Doctorow

Ano: 2017

Páginas: 336

Editora: Record (TAG)

Sinopse: No início do século XX, o ragtime era o mais popular “idioma” musical dos Estados Unidos. O termo originou-se da expressão ragged time, referindo-se ao ritmo sincopado e de contratempo do rag. É com esta estrutura melódica e original que Doctorow descreve a vida de uma família fictícia, cujos membros são designados como Papai, Mamãe, Meninazinha, Irmão Mais Novo de Mamãe e Vovô. O autor movimenta personagens históricos, intercalando o cotidiano da família com figuras e acontecimentos marcantes: o mágico Houdini, a rotina do arquimilionário J. P. Morgan, o genial inventor Henry Ford, as lutas da anarquista Emma Goldman, o poder da imprensa, o nascimento do cinema, as greves trabalhistas. Em meio a tudo isso, a figura silenciosa do Irmão Mais Novo de Mamãe é o elemento criador da conexão entre capítulos, retratando o dinamismo, a riqueza e a miséria de um país ainda em formação.

Comecei a ler esse livro despretensiosamente, tem uma narrativa diferente, sem diálogos e longos parágrafos. Então tive muito medo de não gostar.

Na primeira parte (são três) você passa a conhecer a maior parte dos personagens e se localiza bem. Apesar de ter vários personagens não é difícil de conhecer e lembrar de todos, é muito fácil inclusive.

Porém, o livro inclui vários personagens reais e importantes da história, misturando realidade e ficção, eu não conhecia todos, se conhecesse teria sido mais fácil, mas a leitura fluiu e foi muito bom.

Na segunda parte, surgem novos acontecimentos, que é o que acaba se tornando praticamente o centro da leitura. Um personagem negro, que sofre um absurdo de racismo nos leva a perceber como há tão pouco tempo alguém poderia ser tratado daquela maneira, não só ele, mas todos os outros negros.

Essa foi a parte que me pegou no livro, é um romance, destruído pelo racismo e pelo preconceito, onde um homem precisa se diminuir por conta da sua cor. Revoltou-me muito, nem preciso dizer queracismo é inadimissível.

Muitos são os acontecimentos recorrentes e a história vira de cabeça para baixo. O final foi bom, surpreendente inclusive. Foi uma excelente leitura e com certeza entrou para os meus livros preferidos!

 

O Livro dos Manuais – Paulo Coelho #177

O_LIVRO_DOS_MANUAIS_1359083062B

Título: O Livro dos Manuais

Autor: Paulo Coelho

Ano: 2008

Páginas: 111

Sinopse: Inédito, o livro apresenta 16 guias e manuais com inúmeras sugestões sobre temas cotidianos. Paulo Coelho trata com humor e sabedoria sobre amor, batalhas internas, busca da auto-realização e ainda escreve dicas, por exemplo, de como viajar de verdade, e não apenas contar para os amigos que conhece outros países?. O livro é ilustrado por Fernando Villela, ganhador do prêmio Jabuti 2007, na categoria infantil.

Esse é um livro um pouco antigo do Paulo Coelho e foi uma edição exclusiva de uma revista ou jornal. Eu ganhei de uma amiga, a Márcia, nos conhecemos no Amigo Literário, um grupo de amigos membros da TAG (Experiências Literárias) entre outras pessoas que devido a paixão por livros e por experiências diferentes criamos um amigo secreto onde trocamos livros e mimos do mundo literário.

A Márcia foi quem eu presenteei, mas, ela tinha esse livro e não gostava, então ela me enviou e eu adorei.

Nesse livro existem vários manuais, hora irônicos, hora sentimentais.

Uma citação interessante: “Os feridos por amor, ao contrário dos feridos em conflitos armados, não são vítimas nem algozes. Escolheram algo que faz parte da vida, e assim devem encarar a agonia e o êxtase de sua escolha.”