Toda Luz Que Não Podemos Ver – Anthony Doerr #179

 

TODA_LUZ_QUE_NAO_PODEMOS_VER_1426788848440816SK1426788848B

Título: Toda Luz Que Não Podemos Ver

Autor: Anthony Doerr

Ano: 2015

Páginas: 528

Editora: Intrínseca

Sinopse: Marie-Laure vive em Paris, perto do Museu de História Natural, onde seu pai é o chaveiro responsável por cuidar de milhares de fechaduras. Quando a menina fica cega, aos seis anos, o pai constrói uma maquete em miniatura do bairro onde moram para que ela seja capaz de memorizar os caminhos. Na ocupação nazista em Paris, pai e filha fogem para a cidade de Saint-Malo e levam consigo o que talvez seja o mais valioso tesouro do museu.
Em uma região de minas na Alemanha, o órfão Werner cresce com a irmã mais nova, encantado pelo rádio que certo dia encontram em uma pilha de lixo. Com a prática, acaba se tornando especialista no aparelho, talento que lhe vale uma vaga em uma escola nazista e, logo depois, uma missão especial: descobrir a fonte das transmissões de rádio responsáveis pela chegada dos Aliados na Normandia. Cada vez mais consciente dos custos humanos de seu trabalho, o rapaz é enviado então para Saint-Malo, onde seu caminho cruza o de Marie-Laure, enquanto ambos tentam sobreviver à Segunda Guerra Mundial.
Uma história arrebatadora contada de forma fascinante. Com incrível habilidade para combinar lirismo e uma observação atenta dos horrores da guerra, o premiado autor Anthony Doerr constrói, em Toda luz que não podemos ver, um tocante romance sobre o que há além do mundo visível.

Eu ganhei esse livro na primeira edição do Amigo Literário.

Esse livro é ambientado na França e na Alemanha, durante a segunda guerra mundial, o que chamou muito minha atenção.

O livro é narrado principalmente na perspectiva da Marie, a francesa e Werner, o alemão. Nosso casal. O livro narra a infância e juventude de ambos, sem se conhecerem. Até que chega a um momento do livro em que se encontram.

 

O grande problema desse livro é que os capítulos viajam no tempo, por exemplo, o primeiro em  1944, o segundo em 1934, o terceiro em 1940, e por aí vai. O que deixou o livro um pouco confuso, porque pra mim, isso foi bem nada a ver.

Meu segundo problema com esse livro é que  Werner simplesmente some no final do livro e você fica tipo: Oi????

Enfim, infelizmente não foi uma boa experiência para mim, achei um livro bem fraco.

Apesar de em muitas resenhas as pessoas terem amado ):

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s